jusbrasil.com.br
26 de Agosto de 2019

A importância da Governança Corporativa e do Compliance Empresarial

Mudanças de postura no mundo dos negócios que podem culminar em grandes resultados positivos.

Aline Vieira de Almeida, Advogado
há 2 meses

Nos últimos anos, presenciamos verdadeiros escândalos criminosos na política, com o envolvimento de empresas brasileiras renomadas internacionalmente. Por consequência, acabamos reforçando uma triste realidade: o Brasil é conhecido no cenário mundial pela existência de enraizada corrupção, algo que acaba afastando investimentos em todos os setores.

Com a explosão dos sistemas altamente articulados de corrupção envolvendo políticos e empresas privadas, passou-se a fomentar a discussão sobre a importância da implantação de uma boa Governança Corporativa com utilização do programa de Compliance, já que todos esses escândalos permaneceram escondidos e acobertados por muito tempo.

Dito isso, já é possível concluir que o Compliance, apesar da nomenclatura causar espanto, está estritamente ligado à transparência e não é nenhum bicho de sete cabeças, somente quanto à sua compreensão, é claro, pois não se trata de programa simples.

Pelo contrário, o Compliance é extremamente complexo e pode ser conceituado como o conjunto de regramentos e mecanismos que buscam resguardar a imagem da empresa e a prevenir a existência de qualquer desvio ou inconformidade entre colaboradores, parceiros, funcionários e até diretores.

O Compliance é uma excelente ferramenta para Governanças Corporativas pautadas em valores éticos, morais e transparentes, visando sempre maior segurança para clientes, parceiros e investidores.

Cumpre mencionar que boas Governanças Corporativas são capazes de aumentar lucros e competitividade sem deixar de lado valores éticos e profissionais, cumprindo ainda com maestria suas funções sociais.

Por isso, o Compliance trata-se apenas de um pilar da boa Governança Corporativa e, passando-se a fase de sua conceituação, destacamos como ele pode ser iniciado pelas empresas.

O primeiro grande passo na implantação do programa de Compliance é analisar riscos e estudar toda a organização empresarial para que seja possível identificar problemas em sua estrutura de funcionamento.

Com os apontamentos de riscos em mãos, inicia-se a confecção de um Plano de Ação, com estratégias necessárias para coibir desvios de conduta e demais problemas que possam prejudicar a imagem da empresa.

Durante esse processo, ocorre a criação de um Código de Conduta que traz direitos, deveres e até punições para funcionários e administradores, devendo ele receber destaque e ser sempre tratado como o norte das relações que envolverem a empresa.

Além disso, é preciso realizar controle interno e auditorias periódicas para monitorar o desenvolvimento de todos os ramos e setores da empresa, valendo-se sempre da transparência.

Todos os funcionários também devem receber treinamentos durante o Compliance, para que fique claro a importância de pautarem-se sempre em bons valores, normas e condutas éticas no mundo dos negócios. Afinal, quem teria coragem de colocar o seu nome e o seu dinheiro em uma empresa que não demonstra esses requisitos com transparência?

Certamente, o programa de Compliance envolve muitos outros aspectos, como Due Diligence (busca de informações sobre empresas parceiras), canais de denúncias e investigações internas e externas, requerendo estudos aprofundados e profissionais qualificados para a sua implantação.

Ainda assim, o presente texto busca demonstrar, de forma simples e objetiva, que a importância do programa tem valor imensurável, pois certamente gera resultados positivos para o negócio que só tende a crescer. É o mecanismo do sucesso empresarial.

Por Aline Vieira de Almeida

Imagem: pixabay

2 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Uauu que texto bem elaborado!
Parabéns Aline Vieira de Almeida.

Att. Carlos E. Vanin continuar lendo

Agradeço o comentário, Dr! Grande abraço continuar lendo